quarta-feira, 29 de abril de 2015

E você descobrirá rapidamente...


Um dia alguém vai se apaixonar pelo seu sorriso torto. Alguém vai precisar ouvir a sua voz antes de dormir e querer o seu bom dia para começar bem. Um dia alguém irá querer carregar as suas dores consigo e trazer um pouco de alívio. Esse alguém também irá aceitar as suas falhas, perdoar os seus maus entendidos e respeitar os seus silêncios mesmo que não entenda. Alguém com quem você poderá até ter… brigas exageradas, mas nunca irá embora. Alguém cuja a palma da mão, você terá decorado cada detalhe e cravado a marca dos seus dedos entrelaçados. Um alguém fará você chorar e vice-versa, porém, terá um abraço que acolherá todos os erros. Alguém que talvez te odeie um dia e ame no outro – ou no mesmo -, mas que invada diariamente o seu corpo de sensações únicas. Um alguém que te leva junto toda vez que parte, e te faz oscilar entre a vida e a morte em segundos de amor. Um alguém cuja alma te pertence desde sempre. Um dia um encontro marcará o que somente os olhos registrarão. Um dia, inesperadamente, alguém anula o resto do mundo para você. E você descobrirá, rapidamente, que esse alguém não poderia ser de mais ninguém, e nem você.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Mais lindo que já li, vale a pena.

Se apaixone por um grande homem.


Nós homens nos caracterizamos por ser o sexo forte, embora muitas vezes caiamos por debilidade. Um dia, minha irmã chorava em sua casa… Com muita saudade, observei que meu pai chegou perto dela e perguntou o motivo de sua tristeza. Escutei-os conversando por horas, mas houve uma frase tão especial que meu pai disse naquela tarde, que até o dia de hoje ainda me recordo a cada manhã e que me enche de força. Meu pai acariciou o rosto dela e disse:
“Minha filha, apaixone-se por Um Grande Homem e nunca mais voltará a chorar”.
Perguntei-me tantas vezes, qual era a fórmula exata para chegar a ser esse grande homem e não deixar-me vencer pelas coisas pequenas… Com o passar dos anos, descobri que se tão somente todos nós homens lutássemos por ser grandes de espírito, grandes de alma e grandes de coração, O mundo seria completamente diferente!
Aprendi que um Grande Homem não é aquele que compra tudo o que deseja, porque muitos de nós compramos com presentes a afeição e o respeito daqueles que nos cercam.
Meu pai lhe dizia:
“Não se apaixone por um homem que só fale de si mesmo, de seus problemas, sem preocupar-se com você… Enamore-se de um homem que se interesse por você, que conheça suas forças, suas ilusões, suas tristezas e que a ajude a superá-las.”
Não creia nas palavras de um homem quando seus atos dizem o oposto. Afaste de sua vida um homem que não constrói com você um mundo melhor. Ele jamais sairá do seu lado, pois você é a sua fonte de energia… Foge de um homem enfermo espiritual e emocionalmente, é como um câncer matará tudo o que há em você (emocional, mental, física, social e economicamente)
“Não dê atenção a um homem que não seja capaz de expressar seus sentimentos, que não queira lhe dar amor.”
Não se agarre a um homem que não seja capaz de reconhecer sua beleza interior e exterior e suas qualidades morais.
Não deixe entrar em sua vida um homem a quem tenha que adivinhar o que quer, porque não é capaz de se expressar abertamente.
Não se enamore de um homem que ao conhecê-lo, sua vida tenha se transformado em um problema a resolver e não em algo para desfrutar”.
Não se apaixone por um homem que demonstre frieza, insensibilidade, falta de atenção com você, corra léguas dele.
Não creia em um homem que tenha carências afetivas de infância e que trata de preenchê-las com a infidelidade, culpando-a, quando o problema não está em você, e sim nele, porque não sabe o que quer da vida, nem quais são suas prioridades. Por que querer um homem que a abandonará se você não for como ele pretendia, ou se já não é mais útil? Por que querer um homem que a trocará por um cabelo ou uma cor de pele diferente, ou por uns olhos claros, ou por um corpo mais esbelto? Por que querer um homem que não saiba admirar a beleza que há em você, a verdadeira beleza… a do coração? Quantas vezes me deixei levar pela superficialidade das coisas, deixando de lado aqueles que realmente me ofereciam sua sinceridade e integridade e dando mais importância a quem não valorizava meu esforço? Custou-me muito compreender que GRANDE HOMEM não é aquele que chega no topo, nem o que tem mais dinheiro, casa, automóvel, nem quem vive rodeado de mulheres, nem muito menos o mais bonito. Um grande homem é aquele ser humano transparente, que não se refugia atrás de cortinas de fumaça, é o que abre seu CORAÇÃO sem rejeitar a realidade, é quem admira uma mulher por seus alicerces morais e grandeza interior.
Um grande homem é o que cai e tem suficiente força para levantar-se e seguir lutando… Hoje minha irmã está casada e feliz, e esse Grande Homem com quem se casou, não era nem o mais popular, nem o mais solicitado pelas mulheres, nem o mais rico ou o mais bonito. Esse Grande Homem é simplesmente aquele que nunca a fez chorar… É QUEM NO LUGAR DE LÁGRIMAS LHE ROUBOU SORRISOS… Sorrisos por tudo que viveram e conquistaram juntos, pelos triunfos alcançados, por suas lindas recordações e por aquelas tristes lembranças que souberam superar, por cada alegria que repartem e pelos 3 filhos que preenchem suas vidas. Esse Grande Homem ama tanto a minha irmã que daria o que fosse por ela sem pedir nada em troca… Esse Grande Homem a quer pelo que ela é, por seu coração e pelo que são quando estão juntos. Aprendamos a ser um desses Grandes Homens, para vivenciar os anos junto de uma Grande Mulher e NADA NEM NINGUÉM NOS PODERÁ VENCER!

Escrito por: Arnaldo Jabor

sexta-feira, 24 de abril de 2015

'Til the sun no longer shines.

(…)Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também! Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade! Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também.

Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena.

Que por você vale a pena, que por nós vale a pena. Remar. Re-amar. Amar.

--Caio Fernando Abreu


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Everything will be alright!


O mundo dá voltas, gosto que a vida me ensine. Porque tudo aquilo o que você não quer ver, a vida te joga na cara! A vida é muito clara, porém tudo pode ser acreditável, toda mentira pode ser bem contada, mas os olhos nunca vão mentir. A dúvida corrói, a verdade dói, e a mentira te destrói, mas o caminho é lento, tudo tem volta, ainda é só o começo... Pra bater com a cara no chão é preciso se jogar, e se não doer bastante na primeira, cair no chão se torna rotina, até que você aprenda. Para tudo se tem uma chance e duas alternativas, de uma escolha o que resta é segurar a conseqüência. Eu sempre arquei com as conseqüências dos meus atos. Isso me fez mais eu, vou amadurecendo cada vez mais. Eu arrumei a casa, fiz as pazes com o tempo, sorri pra vida, apaguei pessoas e coisas que nunca me fizeram bem. E eu que sempre fui borboleta, estou mais leve, mais livre..



quarta-feira, 22 de abril de 2015

Se não for assim...

Quem sabe um dia ainda consigo entender todas as coisas que passei, pessoas que conheci e momentos que vivi. Algum significado ou consequência deixaram, me ensinar crescer ou mesmo enlouquecer, e depois ser forte.
Um dia pensei que tinha encontrado a pessoa especial para a vida toda, talvez pudesse ter sido, mas a vida mostrou que não era.
Um dia pensei que demorei 30 anos para encontrar alguém que gostasse de coisas que eu gostasse, que fosse um tanto parecido comigo, gostasse de livros, poesias, poemas, entender as canções e observar a beleza da natureza. E que não deveria deixar ir embora. Mas, o tempo me mostrou que sim, eu deveria deixa-lo partir, que aquela história só era bonita olhando pelos meus olhos, e que eu arrastei ela por quase 2 anos para entender que o pra sempre, sempre acaba.
Um dia pensei que jamais deixaria de sofrer por amores que machucam, mas resolvi não pensar, resolvi apagar as lembranças e simplesmente sentir a vida.
Parei de querer atenção daqueles que não tem tempo pra mim, e comecei a aceitar o tempo que as pessoas da classe da amizade me dedicam.
Amores estão indisponíveis, e só encontrei pessoas vazias de sentimentos, e que mentem aos baldes. Acolhi somente o bem que praticar sem eu solicitar.
Agora que restou apenas conhecer algumas pessoas pelo detalhamento minucioso de cada ação, de casa passo. Para por fim, um dia quem sabe, encontrar aquela pessoa especial e compartilhar os momentos que não vivi, palavras que não disse, músicas que não ouvi, ir à lugares que não fui, e simplesmente viver uma vida normal.
Se não for assim, não será nada.

A coisa mais valiosa que você pode dedicar à alguém, é o seu tempo!

sábado, 18 de abril de 2015

A gente...


A gente não quer só dizer que está tudo bem; responder ao perguntar “tudo e você?”. A gente não quer essa coisa de “vamos marcar um dia” e perceber que na verdade esse dia nunca vai chegar. Ah, a gente não quer mesmo.
A gente ama marcar e realmente comparecer nas coisas marcadas. A gente é o tipo de gente que gosta de ter gente por perto. Gente de verdade, sabe? Gente imperfeita, que erra, mas tenta acertar com vontade.
Bem que por um lado seria mais fácil exigir menos e só viver por aí beijando bocas. E dia seguinte postar um “gente, o que eu fiz ontem?” igual as pessoas fazem, né? Mas a gente não gosta muito disso não. “Então vocês são santos?” Pelo contrário.
A gente coleciona boas aventuras, lembramos de alguns beijos, de outros nem tanto, porém. É que funciona assim: Se for pra gente ter qualquer coisa é melhor a gente nem ter nada. Essa história de curtir a vida do jeito que se curte um pacote de salgadinho não é muito a nossa praia. Por isso a gente é meio exigente sobre o que queremos.
Mas evite confusões: a conotação do verbo “exigir” aqui configura em algo parecido com almejar, ou seja, é que a gente sabe bem o que quer e não aceitamos nada menos que isso. “Nossa, mas o que tanto vocês querem então?” A gente quer quem queira a gente. No fim, é só isso.
Esse alguém pode ser bem diferente da gente. Pode gostar de refrões que não achamos graça e pode amar filmes que nunca vamos assistir, isso nem importa, desde que esse alguém goste da gente. Dá pra ver como é bem simplista no fim, né? Não tem exagero nenhum não. Com alguém que goste da gente fica mais fácil viver a vida de um jeito mais contente.
Pois sabe como é né, é bom demais ter uma risada pra acompanhar a nossa e ter uma mão pra aquecer tipo nessas noites de inverno. É bom demais dividir o edredom e dormir feito uma pessoa só. Isso é realmente bom demais.
Essas coisas acontecem quando a gente tem alguém que gosta da gente.
Também é por isso, no entanto, que a gente fica tão triste com algumas coisas.
Dói demais conhecer alguém que se parece bacana e depois ver que esse alguém não dava a mínima pra gente, sabe? É chato porque a gente gosta de se dedicar pra caramba. A gente é meio cafona. A gente gosta de pedir pra avisar quando chegar em casa, a gente termina as frases não com um =) mas com um <3.
Olha, pra gente isso se chama carinho, mas tem que não goste tanto assim.
Tipo aquelas pessoas que veem a forma da gente cuidar como uma forma da gente se apropriar. E aí dá um nó cabeça: ué, a gente não tem poder de se apropriar de ninguém, pra quê pensar assim? Essas pessoas são estranhas. A gente acha que elas tem medo de pessoas como a gente; de pessoas reais.
A gente sofre tanto, vocês nem fazem ideia do quanto.
Não entra na nossa cabeça como alguém pode ler a nossa mensagem e não responder. É claro que a gente sempre espera uma resposta boa, mas melhor que isso é ter pelo menos uma resposta, seja qual for. Mas tem umas pessoas que perdem tempo jogando ao invés de ganhar se divertindo. Esse negócio de “não vou ligar porque já liguei muitas vezes” não cola muito com a gente.
E aliás, a gente gosta mesmo é de quem toma uma atitude, sabe? Nossa, como a gente gosta! É outra coisa boa da vida: alguém que diz pra gente o que sente; alguém que diz que tá com saudade da gente e como fazemos falta. Ou até mesmo alguém que diz pra gente quando erramos.
No fim das contas as coisas são meio práticas, né? Pra gente é, mas tem gente que gosta de dar uma complicada, vai saber o por quê.
Sim, a gente imagina um mundo bem bonito. É que pra gente funciona assim: fazemos com as pessoas o que gostaríamos que elas fizessem com a gente. É tipo o 2+2=4 do coração, sabe? Por isso que às vezes o mundo parece mais legal pra gente. A gente primeiro mergulha nas pessoas, depois a gente vê se vamos nos afogar ou nadar. E deve ser por isso que muita gente torce o nariz porque a gente gosta de postar frases e músicas bonitas. Ué, o que a gente mais gosta é de espalhar coisas boas. Pra que dar atenção para as coisas ruins? As pessoas parecem gostar de sofrer, enquanto a gente gosta de viver.
A gente não quer só dizer que está tudo bem; responder ao perguntar “tudo e você?” A gente não quer só o “visto por último tal hora” (que aliás agora dá pra esconder, né?). A gente não quer só esses likes nas nossas fotos, a gente quer like nas nossas vidas.
A gente não quer só puxar assunto, a gente quer ser puxado também. A gente não quer só chamar pra sair, a gente quer convites também. A gente quer a vida real; a gente quer quem queira a gente. A gente quer você se você mostrar que quer a gente. Provavelmente a gente seja eu e você. Nós, todos uma coisa só.
 
Fonte: Escrito por Marcio Rodrigues, via Um travesseiro para dois

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Por que todo mundo? E só você?


A gente sempre sabe quando o nosso coração palpita diferente… Por que aquele sorriso me deixa tão sem graça e por qual motivo eu me deixo completamente disponível para qualquer possibilidade de um encontro num dia da semana qualquer, mesmo deixando tantas coisas por fazer?
Ah, sem contar nas vezes em que ele mexe o cabelo – sim, quantos trejeitos já decorados por mim – fazendo parecer que o mundo, meu e do resto do mundo, inteirinho está em câmera lenta? Acho melhor não pensar na forma como ele me abraça e diz, como quem não quer nada, que, poxa, não rola mais nada entre a gente…
Aí você se vê sem mais ninguém além de você, da sua taça de vinho barato e, é claro, da sua casa, seja ela uma kitnet, seja ela um pavilhão repleto de quartos, que se anteriormente parecia tão confortável e aconchegante, agora parece um vazio repleto de você, de só você e mais nada nem ninguém.
Porque, por fim, você tem certeza de que o mundo ao seu redor encontrou em alguém motivos pra sorrir e você, como sempre, continua procurando motivos para acreditar que, se não deu certo com aquele advogado recém-formado, algum jornalista irá aparecer em breve pra te tirar o fôlego, mesmo que por questão de dias, até sumir, de novo e também. Falei bobagem?
Mas, cá entre nós, por que você tem esse medo louco e inconsequente de ficar sozinho, achando que essa solidão vai durar pra sempre? Não me venha com essa história de que uma vida a dois é mais gostosa e mais fácil de viver, tampouco diga que você só assiste a Receitas para 2 no Youtube porque sonha em um dia poder cozinhar para você e mais um. O fato é que ainda não é hora… Se ele chega e vai embora é porque, simples e tão-somente, não era pra ser.
Eu juro que te entendo quando você se martiriza tentando entender o porquê daquele amigo pular de namoro em namoro e nunca estar sozinho, ou, aos domingos à noite em especial, você cair em perfis aleatórios de possíveis futuros amores e, é claro, se deparar com um status de relacionamento sério escancarado aos seus olhos. O mundo está namorando, talvez seja por isso que eu estou sozinho: não sobrou ninguém. Ok, serei menos drástico e lerei seus pensamentos em dizer que, veja bem, não é que não sobrou ninguém: não sobrou ninguém que preste.
O cara da faculdade ainda é bancado pelos pais e estuda à noite pra passar o dia deitado preocupado com seu sono. O saradinho de academia parecia ideal, mas o jantar italiano que você planejou foi por água abaixo quando ele disse que ‘pra mim comer fora de casa, só se for um prato com menas gordura’. Ah, e aquele bem de vida engomado que você conheceu na balada e, sei lá se por culpa do álcool, você achou que haveria repeteco? Que nada, sexta passada ele já estava em outro canto da mesma parede que foi cenário do teu beijo, agora com outro.
Chega. Não sei se você é dramático como sua amiga insiste em dizer, mas te garanto que já vivi por muito tempo esse mesmo drama que você vive hoje: por que todo mundo tem alguém e só eu to sem?
Depois de muita análise, sábados desperdiçados pensando no motivo da minha real existência – ao invés de pensar em quantos beijos eu daria, quantos shots de tequila aguentaria ou quantas vezes Dark Horse tocaria na balada de sempre -, percebi que a gente não precisa abrir mão de nada, nem mudar tudo que se faz para que o mundo nos olhe com outros olhos, ou que os caras que a gente tanto quer decidam finalmente ficar ao invés de sempre arranjarem uma desculpa pra partir.
Que tal abrir um vinho para um e ter uma só taça na cristaleira, assim, sozinha e sem par? Uma só entrada para o filme que só você pode e quer assistir na pré-estreia?
Porções individuais gritam por você no supermercado: passe a vê-las com outros olhos, por favor. Fico me perguntando sobre essa necessidade de ter alguém e, ainda assim, sentir-se só e pela metade. Porque depois de anos solteiro, descobri que a gente não é meio, somos inteiros. Não somos metade, a gente é uma parte completa e bem acabada do que deveria e precisaria ser sinônimo de gente bem resolvida e repleta de amor próprio.
De nada adianta mirar no sorriso dele se ele não enxerga o seu.
Muito menos ouvir a voz que não diz que você é único e que, dentre tantos no mundo, prefere deixar de ver qualquer um além de você. Talvez seja bom você repetir comigo que, sim, é bacana pra caramba ter alguém, mas que o clichê máximo – um pouquinho modificado por minha tia solteirona – também funcionará com você: antes só do que ser indesejado. Aí, eu garanto, o mundo vai sorrir de novo. Quem você menos esperava vai aparecer e, depois de tantos erros e tantos caras que veem você como um objeto à venda naquela loja cara de decoração, alguém vai insistir em você e, mesmo sem querer, em te fazer feliz.
Sabe quando você pensa em dizer algo a alguém, mas dizem a você antes de qualquer palavra escapulir da sua boca? Vai ser do jeito mais inusitado, talvez sentado no banco do carro dele, ou no meio-fio da sua calçada, mas… “Eu não vou querer saber onde você mora, contanto que você nunca se esqueça do caminho até minha casa.
Pra quê saber quantos amores você teve, se o seu coração está disponível para amar outra vez – e me amar, por gentileza. Sobre o seu salário? Também não ligo para o quanto você ganha, o melhor mesmo é ouvir se você ganha o dia quando passa o dia ao meu lado”.
Parece você falando, né? Serão palavras dele e farão você ter certeza de que se o mundo está solteiro, chegou a sua vez de namorar.
__
Texto Escrito Por:  Milton Schubert

(E a música faz parte dessa trilha sonora de pensamentos e lembranças entre uma postagem e outra)

terça-feira, 14 de abril de 2015

Uma música que te faz viajar uma vida inteira.



Sempre digo não para tudo, sempre me esquivo de várias conversas que já sei o final.
Mas, hoje não consegui fazer isso... lembrei de coisas que não queria lembrar, pensei em coisas que eu deveria esquecer, e criei histórias que eu deveria apagar.
Sempre tento ver o lado bom de tudo que se passa, sempre a empatia agi por sí só.
Mas, hoje não consegui fazer isso... me coloquei em todos os lugares só meu, esqueci de sentir aquela dor que era sua, pensei somente em minha pessoa.
Sempre falo palavras belas para que possa alegrar o dia de alguém, sempre tento ser positiva em todas as situações possíveis e impossíveis.
Mas, hoje eu não consegui fazer isso... não vi a luz no fim do túnel, me joguei no chão e chorei, não querendo mais levantar para nada, apenas ir embora desse mundo.
Sempre busco ser simpática com todas as pessoa, ser agradável  e amiga, sempre passei essa idéia para quem eu conheço, ou estando ao meu lado.
Mas, hoje eu não consegui fazer isso... fui grosseira, incompreensível e irônica, perdi a paciência e usei palavras que jamais usaria em outra época em minha vida.
Sempre tentei ser perfeita, pensando no bem de todos, ajudando a todos, ouvindo a todos, estando sempre disponível quando precisam de um apoio.
Mas, hoje eu não consegui fazer isso... Não sou mais eu, não entendo como isso aconteceu, mas simplesmente deixei de ser quem eu mais gostava, para me tornar nada.
Sempre procurei uma alma boa, um amor para a vida toda, alguém para envelhecer ao meu lado e ficar comigo para sempre.
Mas, hoje eu não consegui fazer isso... Não vejo a graça de ter alguém somente por ter ao lado, sem amor, sem sentimentos, apenas por estar, não sinto mais alegria em procurar alguém.
Sempre tentei ser feliz.
Mas, hoje não consegui mais fazer isso... o encanto se perdeu, os motivos acabaram, e apenas o cinza da vida ficou...



sexta-feira, 10 de abril de 2015

Você é daquelas pessoas...

Não se trata apenas das flores, dos cartões, bilhetes e jantares; é também o jeito que você olha pra ela quando acorda, é a disposição de apagar a luz do quarto mesmo quando é a vez dela e de errar a testa e acertar a boca na hora do beijo de boa noite. É a intensidade e a qualidade daquilo que sentimos que nos define, porque sentir por si só, meu amigo, não é o bastante.

Talvez a melhor coisa de estar com alguém seja a incrível capacidade que adquirimos de fazer loucuras como querer imitar Fred Astaire em locais públicos só pra vê-la ficar com vergonha, ou elogiá-la na frente dos amigos dela sem nenhum motivo aparente, apenas pelo fato de se sentir revigorado e único quando ela está por perto.

Você é daquelas pessoas que só quer a sorte de um amor tranquilo? Mar calmo nunca fez bom marinheiro, já dizia o provérbio inglês. Eu prefiro a real turbulência do acaso, das pequenas paranoias e dos ciúmes infundados. É preciso perder a linha de vez em quando, deixar que as coisas saiam dos trilhos – apenas o suficiente para que haja balanço, não acidente, claro.

Cara, se você tem alguém que está disposto a apostar não somente em você, mas também junto contigo, não perca essa chance. Você tem uma parceira, alguém que vai te acompanhar onde quer que seja e que vai defender seus sonhos como se fossem dela. Portanto, não seja imbecil e faça valer os esforços depositados. Mais que isso, aposte nela também e alto. Apoie seus sonhos, não seja mesquinho e doe-se o máximo que puder. Vai por mim.

Esquece essa coisa de lobo solitário. Primeiro, você não é um lobo de verdade… ou é? (se respondeu sim a essa pergunta, favor procurar um psiquiatra, é sério); segundo, solidão é como álcool, é para se apreciar com moderação, caso contrário, você acaba entrando para um desses grupos de Solitários Anônimos (essa é invenção minha, pelo menos eu acho). Diz pra mim: você realmente credita que os grandes feitos da humanidade foram alcançados somente pelo esforço de uma única pessoa? E por que diabos com a sua vida seria diferente?

Baixa a bola que você não é a pica das galáxias, no máximo a do seu próprio calção e olhe lá.

Tudo o que eu quero te dizer agora é para que você valorize aquela que, mesmo com todos os seus defeitos (que não devem ser poucos se você for um pessoa como eu), está disposta passar por cima de todos eles só pra estar ao seu lado. Sinta-se pleno por ela ter escolhido você em meio a tanta gente e aproveite pra dizer o quanto você precisa do amor dela, o quanto você se torna uma pessoa melhor sempre que divide com ela um sorriso ou dois.

Não espere até ser tarde demais, quando já estiver chorando as pitangas. Ao invés disso, camarada, faça algo melhor: colha pitangas ao pé do ouvido dela.


Jocê Rodrigues, publicado em: http://www.revistacatwalk.com.br/


quinta-feira, 9 de abril de 2015

Must have been a deadly kiss...



Os meus silêncios
também falam de amor...
Há sempre
um olhar apaixonado
por detrás do sol
que admiro...
Na brisa leve
que toca minha face
na manhã
que se inicia...
Há sempre
um luar apaixonado
escondendo tua face...
Uma estrela
brilhando você
em meus olhos...
Sim, os meus silêncios
também falam de amor...




quarta-feira, 8 de abril de 2015

Eu sei que gosto de você, só não sei se consigo te esperar gostar também.





Por isso que já deu.
Já deu de ficar nessas de me torturar como se tivesse volta. E se tiver, vai ter, não adianta eu ficar aqui esperando a hora.
No começo eu tinha certeza que morreria sem você, mas hoje eu estou aqui vivendo melhor do que eu esperava e você, ah você tem um pequeno lugar na minha vida. Tá, até que você tem um bom lugar.
Quando a história acaba, a gente falta acabar com a gente, né?
Naquela época eu ouvia músicas que me faziam ficar pior do que você me deixou. Eu gostava porque era uma maneira de me encontrar e de te trazer pra mais perto de mim. E talvez eu faça isso de novo num outro novo fim que eu possa viver.

Vou mentir se eu falar que vez ou outra não sinto a sua falta, mas sabe, são tantas as coisas que eu sinto que eu acabo ficando sem tempo de dar atenção à falta que você me faz. Seria bobagem eu negar saudade, mas é tão melhor eu comemorar a liberdade da minha nova fase.

Eu bem que continuo sendo a mesma pessoa.
Aquelas manias que conheceu ainda estão em mim: ainda me dá agonia ver um chinelo de ponta-cabeça e me dá um faniquito ver gente abrindo o microondas com o aquele sinal ainda tocando.

Sabe todas aquelas mensagens que me mandou?
Então, lá no começo eu passava horas relendo. Idiota, né? É. É que, de novo, eu gostava de lembrar com a gente se tratava. Eu acha bonitinho, até deletar tudo e nem fazer mais ideia hoje de como era. Fiz o mesmo com as fotos, viu? Não me fazia sentido ter fotos numa fase em que tudo que tenho sentido é força pra te superar.

Queria saber a cara do meu chefe se eu o avisasse que não iria trabalhar porque estava mal em casa com saudade de você. Imagina? Só entende a saudade quem já gostou de verdade. Eu sei disso, mas sei também que o tempo transforma toda essa saudade em uma coisa para se guardar e lembrar de algo bom que foi vivido. Só que uma coisa é lembrar, de vez em quando, outra coisa é viver investigando as redes sociais do outro depois que a história termina, tipo um monte de gente que eu vejo fazer por aí.

Ainda tenho que acordar cedo, lidar com a minha cara amassada no travesseiro, apertar a pasta de dente mais que o necessário, pegar o transporte lotado, enfrentar o trânsito caótico, viver com o guarda-chuva quebrado, enfim, sabe todas as coisas normais da vida de qualquer pessoa? Pois é. Todos os dias vivo cada uma delas e é por isso que não tenho mais tempo pra ficar nessas de: “nossa, por quê acabou?”, “poxa, sdds”, “deixa eu fuçar o insta”, tenho uma fatura pra pagar todo mês do tamanho da dor que me fez viver. E ela não é paga com saudade.

Por isso que já deu.



segunda-feira, 6 de abril de 2015

Um de nós...

Te desejo um amor de verdade, um amor real, que te faça ouvir músicas ruins e que, quem sabe, seja digno de ser inspiração pra uma, um amor que faça seu coração palpitar forte nos primeiros encontros e que depois de algum tempo não faça mais, que finja não ouvir seus roncos durante a noite e que também finja que não sabe que você flerta com outras pessoas.
Te desejo um amor que te arranque risos nas horas impróprias e que durma várias vezes durante um filme do Bergman, que seja leal mesmo quando não estiver sendo fiel, que aceite numa boa tomar cerveja quando faltar vinho, que tenha alguns surtos de vez em quando e te faça ter uns também.
Te desejo um amor que te leve às alturas, mas que te aconselhe a levar um paraquedas só por segurança, que construa junto com você a rotina chata e entediante mais invejada pelos outros casais, que reclame quando você decidir passear descabelada e de pijama pela casa toda, mas que no fundo ache isso de um charme desconcertante, um amor que te ajude a pendurar cuecas e calcinhas no varal com a mesma alegria e disposição de quem vai ao dentista fazer um canal, mas que mesmo assim esteja lá, firme e forte nessa tarefa tão nobre e unificadora.
Te desejo um amor que trapaceie no videogame, que goste de coisas que você não gosta, que faça sexo quando você quiser fazer sexo, que faça amor quando você quiser fazer amor e que mesmo sendo inseguro quanto ao tamanho do pau que tem se empenhe duro em te convencer que é a qualidade que importa.
Te desejo um amor que saiba dizer não pra você, que te faça ter vontade de mandá-lo tomar no cu de vez em quando, que não tenha forças pra resistir às suas chantagens sexuais, que faça piadas infames e que saiba rir não apenas com você, mas também de você.
Te desejo um amor que não seja a sua metade e que por isso mesmo a queira por inteiro, que seja sala de estar e despensa, sofá e penteadeira, chuveiro e goteira, que seja oscilante feito balanço de maré e te desafie a velejar mesmo quando estiver sem bússola, seguindo apenas as estrelas do céu.
Eu te desejo um amor imprevisível, cheio de defeitos, falhas e desvios. Enfim, desejo a você um amor pelo qual vale a pena dizer não à companhia da solidão.

*Crônica originalmente publicada na revista CATWALK



quinta-feira, 2 de abril de 2015

Perto e Distante.

" Há noites muito escuras em que o vento violento e ruidoso traz a tempestade inclemente.
Os trovões e os relâmpagos invadem a madrugada como se fossem durar para sempre e o medo e a incerteza tiram nosso sono, e passamos minutos infindáveis.
No entanto, sem qualquer aviso, o vento vai se acalmando, as gotas de chuva começam a cair com menos violência e o silêncio volta a imperar na noite.
Assim como a chuva, que embora nos pareça inconveniente e assustadora, em algumas ocasiões, também os problemas são indispensáveis para a purificação e renovação dos seres.
Por isso, quando tempestades pesarem fortemente sobre nossas cabeças, saibamos perceber que tudo na vida passa, assim como a chuva.
Tudo é fugaz e momentâneo, mas também, tem seu motivo e sua utilidade para o nosso desenvolvimento."






quarta-feira, 1 de abril de 2015